sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Alba Granja Medeiros

Alba Granja nasceu em Palmeira dos Índios - AL em 23 de outubro de 1943. Filha de Abdon de Araújo Granja e Alaíde de Mendonça Granja. Dois irmãos: Abraão e Afrânio.

Foi professora primária por 20 anos. Cursou pedagogia, concluindo em 1982, no Cesmac, Maceió, AL. Sempre gostou de poesias e lia todas que encontrava. Casou em 1967, com Luiz Cabral de Medeiros, tiveram 4 filhos: Luis Ronaldo, Marcelo, Alexandre e Ana Cláudia. Residiu em Maceió, onde se aposentou e passou a escrever poesias. Publicou dois livros: “Poesia e Vida”, 1995 e “Falando de Amor”, 2000.
Alba tocava acordeom e piano e também pintava paisagens e natureza morta.

Foi membro da Academia de Letras de Palmeira dos Índios, cadeira 15, desde sua fundação em 2000. Sócia honorária e convidada a tomar posse na Academia Maceioense de Letras.

Fez parte de vários intercâmbios culturais escrevendo para jornais e revistas alternativas com o objetivo de incentivar a poesia e conhecer outros poetas. Gostava do estilo parnasiano. Tinha admiração pelo trabalho de vários poetas antigos e da atualidade. Descobriu, através da internet, muitos poetas como: Humberto Soares Santa, Bernardo Trancoso, Humberto Del Maestro, Ronaldo Cunha Lima, dentre outros.

Sempre dizia que “o soneto é a mais bela e nobre forma de poesia. O poder de sintetizar, dizer tudo o que sente em apenas quatorze versos é realmente um dom maravilhoso”.
Alba Granja faleceu em setembro de 2006 em Curitiba, PR, nos deixando um lindo e singelo exemplo de amor a Deus, à família e à arte.

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

O sermão do topo da montanha

(Martin Luther King Jr.)

"Bem, eu não sei o que virá agora. Teremos dias difíceis pela frente. Mas isso não importa para mim agora, porque eu subi ao topo da montanha.
Não me importo mais.
Como qualquer pessoa, eu gostaria de ter uma vida longa. A longevidade é boa. Mas não estou mais preocupado com isso agora. Quero apenas cumprir a vontade de Deus. E Ele permitiu que eu subisse a montanha. E lá de cima eu enxerguei a Terra Prometida. É provável que eu não entre lá com vocês. Mas quero que vocês saibam essa noite que nós, como um povo, chegaremos à Terra Prometida.
Por isso estou feliz esta noite.
Nada me preocupa.
Não temo nenhum homem !
Meus olhos viram a glória da vinda do Senhor !"

(Martin Luther King Jr. foi assassinado a tiros no dia 4 de abril de 1968 em Memphis, no Estado do Tennessee, menos de 24 horas depois de fazer este discurso, em que, para alguns, pressentiu a própria morte).
___________________________

quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

A Lista (Oswaldo Montenegro)

Faça uma lista de grandes amigos
Quem você mais via há dez anos atrás
Quantos você ainda vê todo dia
Quantos você já não encontra mais
Faça uma lista dos sonhos que tinha
Quantos você já desistiu de sonhar!
Quantos amores jurados pra sempre
Quantos você conseguiu preservar
Onde você ainda se reconhece
Na foto passada ou no espelho de agora
Hoje é do jeito que achou que seria?
Quantos amigos você jogou fora
Quantos mistérios que você sondava
Quantos você conseguiu entender
Quantos segredos que você guardava
Hoje são bobos ninguém quer saber
Quantas mentiras você condenava
Quantas você teve que cometer
Quantos defeitos sanados com o tempo
Eram o melhor que havia em você
Quantas canções que você não cantava
Hoje assobia pra sobreviver
Quantas pessoas que você amava
Hoje acredita que amam você

quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

Texto de Alba Granja

Texto Introdutório


Segundo Rubem Alves, o nosso nascimento é algo muito doloroso. O feto está feliz no ventre materno e não quer sair. Alguns até brigam para não sair, são os que nascem laçados.
Mas, ao nascer, vai-se adaptando e gostando tanto da vida na terra que, chegando à idade adulta, sente-se como se estivesse num “grande útero” que é a terra. Chegamos a gostar tanto da vida na terra que não queremos morrer, pois a vida aqui deve ser definitiva.
Só que não é definitiva e vamos ter que sair daqui também; tememos a morte, o desconhecido. Porém, quando chegar a hora de partir, devemos lembrar que “do outro lado” um parteiro nos espera. E este “parto” deverá ser o definitivo e irá iniciar a vida na eternidade com Deus.
Morre apenas esse corpo para que ganhemos um novo corpo glorioso onde, segundo a Bíblia, não haverá mais sofrimento, nem morte.

Alba Granja
Maceió, sábado, 10/06/2006, 16 horas